Novas recomendações confirmam a importância da pesquisa de sangue oculto nas fezes
20/06/2016

O câncer colorretal abrange tumores que acometem um segmento do intestino grosso (o cólon) e o reto. É tratável e, na maioria dos casos, curável, ao ser detectado precocemente, quando ainda não se espalhou para outros órgãos. Grande parte desses tumores se inicia a partir de pólipos, lesões benignas que podem crescer na parede interna do intestino grosso. Uma maneira de prevenir o aparecimento dos tumores seria a detecção e a remoção dos pólipos antes de eles se tornarem malignos.

É o quarto tipo de câncer mais diagnosticado nos Estados Unidos, é o terceiro tipo de câncer mais comum entre homens, enquanto no Brasil esperam-se mais de 30.000 novos casos dessa doença em 2016.Alguns fatores aumentam o risco de desenvolvimento da doença, como idade acima de 50 anos, história familiar de câncer colorretal, história pessoal da doença (já ter tido câncer de ovário, útero ou mama), além de obesidade e inatividade física.

As mais recentes recomendações para a prevenção desse câncer, publicadas pelo US Preventive Services Task Force, o órgão especializado no assunto dos Estados Unidos, reforçam a importância das estratégias de screening (exames em pessoas que não tenham sintomas). Esses exames devem ser feitos em pessoas de ambos os sexos, entre 50 e 75 anos e incluem a realização anual do Teste de Sangue Oculto, que pesquisa quantidades mínimas de sangue sendo eliminado peals fezes, que pode estar relacionado aos estágios iniciais de Câncer colorretal.


Veja Mais

Outras notícias Analic